Caminhos Conjugados

Eu?
Pedra que rola em um mundo que passa.
Tu?
Rocha que fica em águas passadas,
Agitadas, mais passadas.
Ela?
Amada, doce vida iluminada,
Que afaga e suaviza nosso amor,
Culmina em sua dor,
Eterniza em meu amor, e segue, em terras de paz.

sadness
Nós?
O passado é nossa chama,
O único, que da dor,
Se segue o prazer de viver.
Somos formigas em um campo de centeio,
Cada um em seu caminho, não importa o que for.
O que será de vós?

Anúncios

Recomeço

Lembro dos dias que a água ainda era água.

Lembro dos dias que o sol ainda não

lançara suas chamas mortais.

Lembro dos dias em que a vida ainda era vida,

E não algo controlado.

 

Ah… lembro muito bem…

daqueles dias em que via

um céu estrelado e uma lua estonteante…

Lembro que ainda tínhamos liberdade,

sentimentos, moralidade.

 

Hoje, desejei e cometi talvez

o único acerto da minha pútrida vida.

Arranquei meus olhos

e joguei-os na terra

Que logo os devorou,

e se familiarizou

com as visões de sua antiga vida.

A Torre Negra | Roland Deschain e a Flor

A Torre Negra | Roland Deschain e a Flor

 

Ela se lembrou que era fértil,

fofa,com um aroma inebriante,  linda.

E assim desejou.

E cometeu.

O acerto, o ultimo…

 

Semeou meus olhos

e recomeçou, pois tinha muitos ainda

para arrancar e semear.

E recomeçar…


Roqueiros também amam

Ou varias formas de dizer eu te amo

Eu gostava do teu cheiro.

Gostava da tua roupa e do teu jeito de andar.

Gostava de quando ouvíamos Ramones no sofá,

Mesmo não gostando tanto assim deles.

Gostava de quando riamos um do outro

sem nem mesmo precisar falar.

joey and debby

Eu gostava de ouvir, em meus shows,

você gritar para todos ouvirem

que você sabia cantar – as letras pelo menos –

Eu gostava de tocar músicas

para te dedicar.

Eu gostava do teu sorriso,

da tua boca, e de tua forma de brincar.

Gostava de te ver falar e de te beijar.

Gostava de ser um ombro para você chorar.

Amava teus pés, que da pequena forma,

faziam brotar uma bela mulher.

 

Gostava de te abraçar e te fazer corar.

Gostava de cozinhar omeletes e te ver

separando as cebolas que tanto insisti

para tu gostar.

Gostava de ver teus olhos brilhar e

de te levar para ver o mar.

Gostava quando tu me “obrigava” a dançar.

 

Gosto de pensar que no fim sempre

a verei em todos os lugares em que eu passar.

E gostaria que tu soubesse

que te amava, e te amo,  mesmo sem ter

tido muitas chances – e coragem – de falar.